domingo, 24 de fevereiro de 2013

Sol em Peixes ♓




Peixes , o último signo do ciclo astrológico. É o símbolo do final de todas as coisa, quando tudo se mistura, perde a definição, o sentido e a razão. Bem diferente de Sagitário, um momento de expansão, em que se atinge o máximo, mas com certas semelhanças a este signo. É como se eles atuassem de modo inverso. Pra isso devemos acompanhar no ciclo o que leva de sagitário até peixes: Depois de sagitário, a expansão, chegamos a Capricórnio, em que ocorre um movimento de retração. É quando se atinge o máximo, quando se chega a um limite. Simbolicamente, Capricórnio é como uma represa que contém tudo aquilo que se conseguiu conquistar na fase expansionista de sagitário. A consciência de que se esgotou os recursos leva ao conservadorismo e a retração em Capricórnio. É alias essa a lógica do momento em que vivemos sob o trânsito de Plutão em Capricórnio. O problema é que tudo esta nas mãos de alguns, como na nossa analogia, onde tudo foi retirado e colocado dentro de uma única represa. É injusto! E é em reação a isso que surge a rebeldia de Aquário, consequência da privação em Capricórnio. Em Aquário insurge a rebeldia como uma força incontrolável, que deseja destruir as represas capricornianas. Assim Aquário  simboliza a destruição dos limites, é o romper da estrutura, a quebra da espinha dorsal das hierarquias. A consequência de uma ação tão violenta é o signo de Peixes: Quando a represa inunda novamente o mundo com todos os recursos que haviam sido retirados anteriormente. É a devolução, a retribuição. Peixes é o movimento contrário ao de Sagitário, que retirou e consumiu: Peixes é a devolução para a fonte. Assim se chega em Áries com a sensação de reinício: É Peixes quem recria o mundo como ele era em sua origem.

Então essa é uma época de balanço, é o momento que precede o ano novo astrológico, quando o sol ingressa em Áries. Outros elementos piscianos são a fantasia, a fé e a ilusão. Surgem como reação a aridez dos signos saturninos que o precedem. Chega uma hora em que simplesmente nos saturamos de tanto "realismo" e resolvemos idealizar, romantizar, colocar as lentes cor-de-rosa. Nesse sentido Peixes pode representar tanto um período de férias da dureza das agruras, quando tudo é visto com mais condescendência e tolerância e o lado bom da vida é mais enaltecido do que o seu oposto, quanto um período de fuga irresponsável dessas mesma agrura. Tudo depende do que a experiência pisciana significa pra cada um de nós. E essa fuga é feita nas mais diferentes instâncias; Quer se faça a fuga por cima, através dos sonhos, do idealismo e da generosidade, quer se faça a fuga por baixo, mergulhando-se num universo de indigência, o Objetivo é sempre o mesmo, sair desse oceano e encontrar sua própria ilha. Peixes é a saudade do eu, do ego, a saudade de se ser absolutamente egoísta, porque já se está a tanto tempo atrelado a uma estrutura coletiva que a sensação da singularidade já se tornou uma coisa remota, e o impulso que criou tudo isso ja se perdeu a muito tempo. E assim o período pisciano representa uma irresistível correnteza que nos leva ao novo, mas que não deixa de ser uma repetição. É o idealismo pisciano que nos leva a esquecer do que deu errado no ciclo anterior, e só isso justifica o ânimo pra se começar tudo de novo. Nem sempre a memória é algo assim tão valioso! 

O momento coloca o foco na fuga do coletivo para o individual, e nos leva também a iniciar um processo de preparação para o novo ciclo que ja vai se avultando com a aproximação com o signo de Áries. Momento de ir desapegando, de deixar o passado de lado e começar a olhar adiante porque o novo ano já começou e estamos nos encaminhando pra metade dele a passos largos! 

Ingresso: 18/02/2013 as 8:50
Deixa o signo de Peixes: 20/03/2013 as 7:50


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015