domingo, 16 de maio de 2010

Conjunções Júpiter Saturno - parte 2 - a natureza essencial de Júpiter e Saturno



Pra entender como funcionam as conjunções entre Júpiter e Saturno em cada elemento, é importante primeiro entender como cada um desses planetas fica separadamente quando em cada elemento, e é o que veremos neste post.

JÚPITER



Tradicionalmente, Júpiter é um planeta quente e úmido, o único a ser desta natureza na verdade. Atualmente alguns autores entendem Júpiter como um planeta quente e seco, mas a secura nada tem haver com sua natureza essencial que é branda, moderada, “fácil”. O seco está ligado a tudo o que impõe resistência, que é duro ou que causa dor. É um planeta diurno, masculino, e apesar de reger noturnamente a sua triplicidade, ele rege uma triplicidade que é masculina por excelência, a do fogo.  

Júpiter rege noturnamente a triplicidade do Fogo, ou seja, os signos de Áries, Leão e Sagitário. Estes são signos secos, porém quentes como Júpiter. A secura moderada dos planetas de fogo confere um mínimo de estrutura a natureza amorfa de Júpiter, enquanto o calor do fogo aumenta seu potencial positivo e benevolente. A fé, a confiança, a coragem e a sorte estão associadas a Júpiter em signos de fogo. Então Júpiter está muito bem em signos de fogo, sobretudo em Sagitário, onde Júpiter tem seu júbilo. Em nenhum signo o potencial jupteriano é expresso de forma mais plena. 

Júpiter rege também a triplicidade participativa do elemento Ar, por afinidade essencial, sendo júpiter quente e úmido, e o ar quente e úmido, estando em signos de ar a natureza essencial de júpiter só tende a ser ampliada. Júpiter não é tão forte em signos de ar quanto o é em signos de fogo, porque nesses signos a natureza benevolente, doce e alegre de Júpiter fica exagerada. No elemento fogo a secura ajuda a “segurar” a expansão jupteriana, tornando ele mais firme, mas no ar não existe controle, a expansão é desenfreada, a alegria converte-se facilmente em deboche e escárnio, a benevolência se transforma numa permissividade exagerada, conta-se demais com a sorte e entrega-se a todo tipo de excesso. Em Libra e Aquário, signos que dão muito poder pra Saturno seja por exaltação, seja por domicílio, o exagero não é tão grande, mas em Gêmeos, signo onde Júpiter tem seu detrimento, o exagero e a permissividade levam a ruína. Júpiter em Gêmeos não é exatamente a pior posição pra Júpiter, mas neste signo sua natureza é tão exagerada que as conseqüências podem ser desastrosas. 

Nos signos de água, Júpiter encontra afinidade com a umidade deste elemento, mas sua natureza é limitada pela frieza da água, que diminui sua fé. O aspecto benevolente, libertário, que facilita as coisas é ampliado, mas a alegria, a fé e a coragem são comprometidas no elemento água. A exaltação de Júpiter é em Câncer, e Júpiter tem ainda domicílio noturno em Peixes. Somente em Escorpião júpiter não está tão bem. Em Câncer e em Peixes, o aspecto que fica mais evidente é o sentimento de proteção, a caridade, a compaixão. São signos de extrema fertilidade, sendo a água o elemento que melhor representa os aspectos orgânicos da natureza. Proliferação pode ser uma palavra chave pra júpiter nestes signos, sobretudo em Câncer. Consequentemente o sentimento de fartura e saciedade que advém disso é imenso. A generosidade é muito forte com júpiter no elemento água, especialmente quando ele está em Peixes.

No elemento Terra, que é frio e seco, a natureza de júpiter é sumariamente negada. O principio expansivo de Júpiter simplesmente não funciona quando ele está em signos de terra. O pessimismo e o medo, características advindas da melancolia típica da terra também não tem relação nenhuma com a natureza clemente e otimista de júpiter. Sendo este um planeta que representa coisas basicamente benéficas, é muito ruim quando ele se encontra assim constrangido. Júpiter tem sua queda no signo que simboliza o controle e a autoridade, capricórnio. A expansão e o crescimento, princípios fundamentais de júpiter, simplesmente não ocorrem quando ele está neste signo. Virgem, signo da frugalidade e da preocupação com minúcias também segura a natureza de Júpiter, especialmente por ser seu detrimento. O sentimento aqui é de escassez.  Em Touro, Júpiter não está tão ruim, especialmente entre os 14° e 20° onde Júpiter tem seus termos. 

SATURNO



A natureza de saturno é hostil a vida: O frio glacial e a secura extrema, a ausência absoluta das condições mínimas da existência da vida. Júpiter é o contrário, formado pela umidade e pelo calor (lua e sol), é o princípio do crescimento e expansão. Já Saturno é contração, limitação, diminuição. O frio está ligado a ausência de movimento, que no caso de saturno é levado aos extremos da paralisia. A secura é a resistência e a rigidez associadas a sua natureza. É um planeta masculino e diurno, não por suas características, mas porque quando ele está diurno, e em signos masculinos, sua natureza melancólica é abrandada. Noturno e em signos negativos converte-se no senhor do terror e da paralisia. 

Saturno rege diurnamente a triplicidade do Ar. Parece um paradoxo, um planeta cuja natureza essencial é justamente a da terra, reger uma triplicidade diametralmente oposta a sua própria natureza. Mas devemos lembrar que ele é o grande maléfico. Não é bom que sua natureza essencial seja estimulada, muito pelo contrário. Assim o ideal é vermos Saturno posicionado num signo quente e úmido, onde seu frio é diminuído e sua rigidez é abrandada. Assim ele funciona da melhor maneira possível, abordando os problemas que são inerentes a si mesmo de forma clara, inteligente, direta, sem se entregar ao terror. Em ar, Saturno fica mais ágil, mais humano, menos severo. Ele tem ainda domicílio em Aquário, signo do seu júbilo. Em nenhum signo Saturno tem mais poder, ele tem sua ação absolutamente otimizada, especialmente nos últimos graus de Aquário. Um outro signo onde Saturno tem muita força é Libra, onde se exalta. Nesses dois signos e também em Gêmeos o princípio da disciplina Saturnina coíbe a natureza por demais permissiva que é inerente ao ar, e ao mesmo tempo o ar humaniza a natureza monstruosa de Saturno.

Saturno é também regente da triplicidade participativa do fogo. Ter Saturno num signo de fogo não é exatamente a posição ideal porque o fogo carece de flexibilidade, fator essencial quando queremos lidar com problemas, mas é melhor do que quando ele está entregue ao frio do elemento terra e água. Em signos de fogo, que são quentes, o calor torna a ação saturnina mais vívida, a abordagem dos problemas inerentes a sua natureza é feita de forma mais otimista. O grande problema reside no reforço que o elemento fogo faz a natureza seca de Saturno, tornando-o excessivamente rígido, autoritário, tirânico e violento. Na verdade o único signo de fogo onde Saturno fica razoavelmente bem é Sagitário; nos demais ele tem algum tipo de debilidade. Em Áries, signo da queda de Saturno, que representa as iniciativas e os impulsos iniciais, a ação de saturno fica comprometida porque os assuntos que lhe são inerentes exigem tempo, paciência e disciplina e essas características são completamente perdidas quando Saturno está em Áries; Em Leão, detrimento saturnino, o autoritarismo extremo é o grande empecilho. Existe muito medo da derrota, do fracasso e uma postura extremamente teimosa, que leva facilmente a tirania e a ruína nos próprios projetos pela dificuldade em mudar naquilo que exige mais flexibilidade.

Quando está no elemento terra, A natureza de saturno está plenamente estimulada, o que não tende a ser algo bom. A rigidez, o pessimismo e as dificuldades crescem quando ele está posicionado especialmente nos signos de Virgem e Touro. Aí ele é considerado peregrino, já que sua natureza limitativa vem a tona com força total. Em Touro através de bloqueios e sanções, em virgem através da escassez. O que fica valorizado é a disciplina e a industriosidade que são típicas de Saturno, mas ao mesmo tempo o medo e a inação ficam muito elevados, exceto com Saturno em capricórnio, onde ele tem domicílio. Neste caso em particular Saturno assume o posto que lhe é mais natural, agindo como força que regula a ordem e impõe a disciplina como lei, apesar de mesmo assim as coisas não serem particularmente fáceis.

O pior elemento para Saturno é o elemento água. A água é fria, o que aumenta as naturais características saturninas que induzem ao pessimismo, a inação e ao medo. Ao mesmo tempo, neste caso em específico o amolecimento das estruturas promovidas pela umidade da água não é favorável, induzindo que o medo e o terror saturnino fujam ao controle. Isso se verifica sobretudo no signo de Câncer, onde Saturno tem detrimento, e com menor intensidade em Peixes e Escorpião.
  
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

marssak on 19 de maio de 2010 13:25 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marssak on 19 de maio de 2010 13:55 disse...

Saudações, Elias Mendes

Só uma pergunta: essas análises tb servem para mapas natais?
O que dizer de alguém, por exemplo, com Jupiter em Capricórnio na casa 10 e Saturno em Escorpião na casa 8?
Junte a isso, sol em aquário, ascendente em peixes, lua em áries, quadratura sol-saturno e conjunção marte-saturno. rs...
Se não for pedir muito.

Obrigado.

relatosmercurianos on 23 de novembro de 2013 12:13 disse...

Fico triste em ver que sempre a natureza intelectual de Júpiter é relegada a segundo plano nas interpretações. Poxa, esse planeta também rege uma parte do conhecimento humano... Aquela cuja operação elucidativa se dá através do que é genérico (peixes e sagitário), que não pode ser desvendada pela especificidade e delineamento tipicamente mercurianos (virgem e gêmeos). Parece que em tempos de hegemonia das disciplinas técnico-científicas, ninguém mais dá valor à arte, filosofia, história etc. Até mesmo a física, que possui uma parte teórica, virou disciplina de doido.

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015