terça-feira, 1 de setembro de 2009

Dane Rudhyar

Dane Rudhyar é sem dúvida nenhuma o nome mais importante, atualmente, para a astrologia moderna. Sem exagero, pode-se dizer que ele “reinventou a roda”, ou recriou a astrologia a partir de uma ótica mais de acordo com o momento histórico no qual ele estava inserido. A astrologia, que já havia sofrido forte influencia dos movimentos teosóficos e espiritualistas da Europa e dos Estados Unidos, com Dane Rudhyar recebeu uma roupagem mais psicológica (a psicologia desenvolvia-se na Europa justamente na época do nascimento de Rudhyar, no fim do século XIX). Nas palavras de Kocku von Stuckrad, no livro “História da Astrologia”:

“Rudhyar também era de orientação esotérica, unindo esse interesse, no entanto, a um componente psicológico que lhe permitiu desenvolver o que chamava de ‘Astrologia Humanista’. Sob esse título, publicou uma obra de 6 volumes que fundamentou a sua fama (Humanistic Astrology, 1970-71). Mais tarde, continuou a desenvolver a astrologia humanista em uma “astrologia transpessoal” de orientação espiritual que vê o homem inserido em uma teia infinita de forças propondo-lhe mostrar em qual ser ele pode se transformar. Embora Rudhyar rejeite o conceito de esoterismo – porque sua astrologia nada conteria de ‘oculto’ - , o papel da transformação é, de fato, uma característica essencial daquilo que, do ponto de vista da ciência da religião, é denominado de esoterismo.”





            Essa astrologia ‘Transpessoal’ (ou humanista) professada por Rudhyar não vê o homem como a mera peça de toda uma coletividade (o que sob determinado ponto de vista ele não deixa de ser), mas sim como o centro do universo: É a “Astrologia centrada na pessoa”. Sob esta ótica de se enxergar a astrologia, o mapa astrológico reflete o homem em si mesmo e não apenas o céu sob o qual o homem nasceu. Assim, o mapa não reflete a vida do homem, mas sim a sua essência e suas potencialidades latentes. Todos os setores do mapa estariam interconectados de uma forma indivisível e todos eles, em conjunto, seriam o retrato da “essência do homem”.

            Hoje em dia os mapas natais são interpretados pela maioria dos astrólogos a luz dos conceitos desenvolvidos por Rudhyar. Ele influenciou e continua influenciando um grande número de pessoas, ainda que algumas nem se dêem conta disso. Liz Greene, Stephen Arroyo e Ronald Sasportas, apenas para citar alguns dos principais nomes, podem ser considerados como continuadores da obra de Rudhyar.

Biografia resumida:





Dane Rudhyar (Daniel Chennevière) nasceu no dia 23 de Março de 1895 em Paris, na França. Tinha o sol em Áries, o ascendente em Sagitário e a lua em Aquário. Não foi somente astrólogo, mas também foi músico de composições originais inserido no estilo modernista, e também autor de outras obras não astrológicas de cunho ficcional, além de pintor. Nascido na França, em 1916 foi para os Estados Unidos onde desenvolveu seus trabalhos. Em 1917 começou a dedicar-se ao estudo da filosofia oriental e, em 1920, interessou-se pela psicologia de Jung e pela astrologia. Nos anos 30 Rudhyar iniciou um árduo trabalho astrológico: escreveu mais de 1.000 artigos e cerca de 20 livros — e desenvolveu a Astrologia Humanista.

Neste link você pode acessar a página oficial de Rudhyar (em inglês).   

Neste outro link, se tiver interesse você pode ver o mapa de Rudhyar no site Astrodatabank (também em inglês). 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015