quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Sol em Virgem e Ascendente em Touro




Você nasceu para cultivar, esta é a sua palavra chave. Você não gosta de dar inícios, não lhe agrada o frescor do novo, pois ele trás sempre consigo a insegurança e a incerteza. Você gosta de coisas certas, duráveis e que dependam de manutenção, pois cuidar, cultivar, nutrir, são coisas que lhe divertem e que lhe alimentam. Tanto Touro quanto Virgem são signos do elemento terra, indicando ser você uma pessoa paciente, dedicada e perfeccionista, muito ligada a todas as questões da matéria, das formas, do corpo assim como o funcionamento de todas essas coisas. Seu grande objetivo é o de tentar manter coisas durante o máximo de tempo possível, e você parece ter o dom de vencer a força dos anos em diversos sentidos, inclusive no sentido físico sendo uma pessoa que envelhece muito lentamente, ou então no sentido mais material, onde as coisas das quais você cuida parecem ter uma sobrevida muito superior do que quando cuidadas por outras pessoas. A lentidão com a qual você se apresenta para o mundo pode lhe incomodar um pouco, que gostaria de demonstrar maior eficiência e agilidade, como indica o Sol em Virgem. Mas note que pra você, fazer as coisas em ritmo lento pode ser mais proveitoso, já que o que lhe importa no íntimo é a qualidade acima de qualquer outro fator. Sua inteligência financeira é aguda e você provavelmente lidaria muito bem com o comércio, por exemplo, ou com investimentos financeiros. Lidar com a terra, colocar a mão na massa literalmente pode fazer muito bem para a sua alma, mesmo que sua profissão não envolva necessariamente algum tipo de envolvimento com a terra. As vezes a dedicação a algum tipo de arte, principalmente a cerâmica e a pintura, podem funcionar como elementos terapêuticos. A sua sensualidade e suas necessidades românticas são muito intensas, mas pra você pode ser um pouco mais difícil a entrega, com as coisas na esfera romântica acontecendo sempre muito lentamente.

Paulo Coelho



Paulo Coelho (Rio de Janeiro, 24 de agosto de 1947) é um escritor e letrista brasileiro.Nascido numa família de classe média católica, aos sete anos Paulo Coelho ingressa em um colégio jesuíta da então capital do Brasil.
Desde muito novo, gostava de escrever e mantinha um diário. No colégio, participava de concursos de poesia e cursos de teatro. No entanto, seu pai queria que ele fosse engenheiro, e sua mãe desestimulava Paulo a seguir a carreira de escritor. As brigas com os pais eram constantes e Paulo teve muitas crises de depressão e raiva na adolescência, tendo sido internado três vezes em uma clínica de repouso, onde foi tratado por psicólogos.
Na década de 1960 entra para o mundo do teatro, como diretor e ator, criando peças voltadas ao teatro experimental e de vanguarda, mas obtendo pouca expressividade. No início da década seguinte, em 1970, Paulo entra de cabeça no movimento hippie, ao mesmo tempo em que conhece o mundo das drogas e do ocultismo, incluíndo o chamado Caminho da Mão Esquerda. Profissionalmente, além de diretor e ator teatral, exerce também a função de jornalista em publicações ditas alternativas com as revistas "A Pomba" e "2001", quando em 1972 conhece Raul Seixas, então executivo da gravadora CBS. Os dois se tornam parceiros em diversas músicas que exerceriam influência no rock brasileiro (consta na biografia de Paulo Coelho, "O Mago", do escritor Fernando Morais, que Raul Seixas, para incentivar o amigo a compor, colocou-o como parceiro em sua participação na trilha sonora da novela O Rebu da Rede Globo, sem que Paulo escrevesse uma única linha). Nessa época, Paulo Coelho envolve-se com Marcelo Motta e torna-se um seguidor de Aleister Crowley e da chamada "Sociedade Alternativa", a qual apresenta a Raul e que lhe renderia problemas com o governo militar. Compõe também para diversos intérpretes, tais como Elis Regina, Rita Lee e Rosana Fiengo.
Seu fascínio pela busca espiritual, que data da época em que, como hippie, viajava pelo mundo, resultou numa série de experiências em sociedades secretas, religiões orientais, etc.
A edição do seu primeiro livro foi em 1982, Arquivos do Inferno, que não teve repercussão desejada. Lançou o seu segundo livro O Manual Prático do Vampirismo em 1985, que logo mandou recolher considerando o trabalho de má qualidade. Conforme suas próprias palavras, confessa: “O mito é interessante, o livro é péssimo”.
Em 1986, Paulo Coelho fez a viagem de peregrinação pelo Caminho de Santiago. Percorreu quase 700 quilômetros a pé do sul da França até a cidade de Santiago de Compostela na Galiza, experiência que relata em detalhes no livro O Diário de um Mago, editado em 1987. No ano seguinte, publicou O Alquimista, que - apesar de sua lenta vendagem inicial, o que provocou a desistência do seu primeiro editor - se transformaria no livro brasileiro mais vendido em todos os tempos; O Alquimista é um dos mais importantes fenômenos literários do século XX. Chegou ao primeiro lugar da lista dos mais vendidos em 18 países e vendeu, até o momento, 41 milhões de exemplares.
Nos anos subseqüentes foram lançados os seguintes livros : Brida (1990), As Valkírias (1992), Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei (1994), Maktub (1994), O Monte Cinco (1996), Manual do Guerreiro da Luz (1997), Veronika Decide Morrer (1998), O Demônio e a Srtª Prym (2000), Histórias para Pais, Filhos e Netos (2001), Onze Minutos (2003), O Gênio e as Rosas (2004), O Zahir (2005) e A Bruxa de Portobello (2006) (2005) e O vencedor está só (2008)
Como escritor, apesar das críticas, ocupa as primeiras posições no ranking dos livros mais vendidos no mundo. Vendeu, até hoje, um total de 100 milhões de livros, em mais de 150 países, tendo suas obras traduzidas para 66 idiomas e sendo o autor mais vendido em língua portuguesa de todos os tempos, ultrapassando até mesmo Jorge Amado, cujas vendas somam 54 milhões de livros.
Sua obra O Zahir foi lançada primeiramente no Irã, para que lá pudesse ser registrada como obra local e que fossem processados aqueles que fizessem cópias ilegais do livro em língua persa[carece de fontes]. Para escrever O Zahir, Paulo Coelho instalou-se por uma temporada no Casaquistão, país onde a obra se desenvolve.
No fim de 2006 o autor lançou A Bruxa de Portobello, que figura na lista dos mais vendidos no Brasil desde então. A história é construída apenas por depoimentos das personagens fictícias a respeito da protagonista da história, respeitando a parcialidade de cada uma.
Paulo Coelho escreve seus livros em um apartamento na Avenida Atlântica, no Rio de Janeiro, e possui uma casa para retiro na França, na região dos Pireneus.
Em 2007, Paulo Coelho fez uma partipação na novela Eterna Magia, representando Mago Simon, representação humana do grande Dagda, deus supremo da mitologia celta.
Em 2008, lançou o livro O vencedor está só, que fala sobre uma séria de assassinatos no Festival de Cinema de Cannes, nesse livro, Paulo faz uma forte critica social sobre como a elite se comporta e como somos manipulados por suas ações, esse é o primeiro livro em que Paulo sai do mundo da magia e da religiosidade e entra no mundo do suspense policial, o tema não agradou boa parte dos fãs, mas isso não fez com que o livro também não fosse um sucesso.
Em 2009, é lançado no Brasil, o filme Veronika Decides to Die, o primeiro filme baseado numa obra de Paulo Coelho, o filme recebeu fortes críticas negativas, afirmando que o roteiro se distância demais do livro. Vale lembrar que Paulo Coelho nada teve a ver com a adaptação do livro para filme. Existe um projeto para transformar em filme o Best-Seller O Alquimista.




Porfírio Díaz




José de la Cruz Porfirio Díaz Mory (Oaxaca de Juárez, 15 de Setembro de 1830 — Paris, 1 de Julho de 1915) foi um militar, político mexicano. Foi presidente de seu país em diversos períodos.
Filho de José Faustino Díaz Bohorques e Petrona Mory Cortés. Perdeu o seu pai aos três anos de idade. Em 1850 Porfirio entrara ao Instituto de Ciências e Artes de Oaxaca para estudar leis.
Combateu em 1855 contra o general Antonio López de Santa Anna na Revolução de Ayutla com a qual foi vencida a ditadura deste general, levando-o ao exílio.
Participou da Guerra da Reforma, na qual se distinguiu como defensor do liberalismo e, tempo depois, na Guerra de Intervenção Francesa, destacando-se seu triunfo em Puebla em 1862 conduziu à cavalaria na batalha comemorada de 5 de Maio de 1862; mais tarde também em Puebla a 2 de Abril de 1867, na qual venceu às tropas imperiais.
Uma vez presidente (1876-1880), fez mudanças constitucionais para eliminar a reeleição. Em 1880 foi eleito presidente Manuel González (amigo de Porfirio Díaz), quem lhe ajudou a realizar as reformas pertinentes para poder reeleger-se. Durante este período desempenhou um cargo no gabinete de Manuel González e depois foi governador de Oaxaca.
Graças às reformas feitas à Constituição de 1857, manteve-se no poder de 1884 a 1911. Governou o país ajudado por um grupo de políticos e intelectuais, aos quais o povo denominou "científicos", por apoiar-se, segundo eles, em métodos científicos para a administração do governo.
Desenvolveu a indústria, o comércio e o transporte a custo de uma dependência das potências estrangeiras. O traçado das principais linhas férreas, por exemplo, era das zonas mineiras aos portos.Com a queda do apoio popular ao seu governo, e a insurreição lançada por Francisco Madero, foi forçado a renunciar em 25 de Maio de 1911.
Em 1915, Díaz morreu no exílio em Paris, onde está sepultado no Cemitério do Montparnasse.
Foi o autor da célebre frase, hoje ditado popular: "Pobre México. Tão longe de Deus e tão perto dos Estados Unidos."
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

supervisão APE POLO7 on 5 de julho de 2012 06:08 disse...

PARABÉNS.... SOU DE TOURO... ASCENDENTE EM GÊMEOS CASADA COM VIRGEM.. PERFEITO BJ MJB

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015