sexta-feira, 24 de abril de 2009

Marquês de Sade




O Marquês de Sade foi sem dúvida uma das figuras mais polêmicas da história. Nascido na aristocracia francesa do século XVIII teve uma vida marcada pelos excessos, pela polêmica e por diversas estadias em prisões e manicômios. Através dos seus escritos ele propagou sua polêmica filosofia que fazia apologia a libertinagem, aos crimes e a amoralidade. Sua obra era disseminada de forma furtiva e o seu nome chega até os nossos dias, consagrado como o de um escritor original e precursor de vários temas da psicologia e das psicopatologias, ciências que em sua época ainda nem se quer existiam.

Sade nasceu no dia 2 de junho de 1740, em Paris, capital da França, às 17:00. A fonte desses dados é o site astrodatabank e o site francês astrotheme. O mapa dele pode ser visto abaixo:



O Marquês era, portanto um geminiano de ascendente escorpião e lua em virgem. O ascendente em escorpião fala de uma personalidade intensa, obsessiva e profunda. Ele era uma pessoa desagradável, crítica, irônica e sarcástica. Tinha uma capacidade de se impor sobre os outros e de manipular as pessoas fora do comum. Segundo os dados que temos disponíveis, Sade teria nascido com plutão em conjunção a este ascendente, e teria como regente do ascendente o planeta marte em Áries, dignificado e na casa 6, onde tem seu gozo. Então a natureza de Sade era impiedosa e exigente, ele jamais poupava quem fosse inferior a ele mesmo, sendo a temática da submição e da humilhação algo muito presente em sua literatura e em sua vida. Apesar de fisicamente grotesco no final da vida, Sade exercia uma atração muito forte sobre as pessoas durante sua vida inteira, era dono de um magnetismo sexual incomum, talvez por conta de sua ousadia em tocar nos tabus de sua época, o que sem sombra de dúvidas era o suficiente pra despertar a atenção de muita gente.

O sol em gêmeos conjunto a Júpiter em detrimento na casa 8 é o caráter altamente compulsivo e exagerado de Sade, que o levava a cometer todo tipo de excesso. Era uma pessoa altamente racional e filosófica, mas que ao mesmo tempo detinha a tendência geminiana para a dúvida e a oscilação em seus próprios conceitos. Sade era declaradamente ateu e sua “filosofia” era extremamente pautada em tudo o que era grotesco, aversivo e que confluía para o conceito de mal da sua época. Coloco filosofia entre aspas porque Sade, por ser geminiano, não tinha compromisso nenhum com suas idéias: Ele dava a si mesmo a liberdade de brincar com o que era sério, sendo suas teorias uma antítese simétrica da moral cristã. Era uma literatura de afronta, de contestação, e não necessariamente a pregação de algum tipo de crença pessoal.



Com a lua em virgem, Sade tinha uma natureza extremamente crítica e analítica, era uma pessoa observadora, argumentativa e perfeccionista. A lua no mapa se refere a um comportamento que é mais vivido na intimidade, refere-se a vida privada da pessoa. Com a lua entrando em choque com a conjunção Sol-Júpiter, é possível se inferir que Sade na realidade não vivenciava todo o seu discurso geminiano na prática: A lua em virgem se refere a um lado mais pudico e reprimido da personalidade. O conflito da lua com o sol também era manifesto na aversão que Sade tinha às mulheres especialmente no que dizia respeito ao aspecto mais matriarcal. Ele faz enumeras apologias ao matricídio ao longo de sua obra.

A personagem Justine parece ser a personificação deste aspecto conflituoso da personalidade de Sade. Justine era uma moça virgem, pura e casta, extremamente religiosa e que representava o protótipo da boa cristã, da “mocinha”. Mas Sade sempre a colocava em situações lúgubres onde ela acabava sendo estuprada, violentada e humilhada das mais variadas formas. No final Justine é morta por um raio que parte seu corpo ao meio desde a boca até o ânus.

A antítese de Justine era uma outra personagem de Sade, Juliete, irmã de Justine, que representa mais o aspecto Sol/Júpiter de Sade. Juliete era uma mulher sensual, que vivia entregue a luxúria e a devassidão e que ao longo da vida recebia apenas benefícios, casava com homens velhos e ricos que logo morriam e lhe deixavam rica e vivia sempre entregue ao prazer. Essas duas personagens formam a alegoria que melhor personifica a idéia Sadiana: A vida entregue a Deus, a religião e a retidão não é recompensada enquanto que a vida entregue ao luxo e aos vícios era recompensada e aplaudida.

O planeta mercúrio representa nossa mente, habilidades intelectuis e de comunicação. Sade tinha mercúrio no signo de touro, signo associado aos aspectos sensorias e pragmáticos da vida. Isso se percebe na temática de Sade e em sua capacidade de escrever com erotismo. Ao mesmo tempo vê-se o aspecto mais pragmático e enfático do autor quando ele se coloca inflexivelmente no que diz respeito a suas teorias. Mercúrio estava em trígono com a lua, o que representa a capacidade de traduzir de forma muito lógica as emoções e o conteúdo que normalmente é puramente de foro íntimo. Mercúrio faz ainda trígono com o planeta urano localizado na casa 3, que representa o aspecto da originalidade e quebra de paradigmas contido nas idéias de Sade.




Algumas pessoas não sabem mas o termo “sadismo” vem diretamente do nome deste escritor: E isso se deve a carga intensa que misturava sexo com violência ao longo de seus contos. Sadismo é o prazer advindo do sofrimento alheio, e basicamente todas as histórias de Sade tinham esses elementos, onde as pessoas se agrediam com o uso de varas, mordidas, queimaduras com velas derretidas, chicotes indo até o cúmulo da humilhação com práticas de coprofagia (pessoas que urinam , vomitam e defecam umas nas outras). No mapa de Sade esse aspecto de sua personalidade parece ser explicado pela conjunção de Vênus com Saturno em Câncer. Vênus representa o prazer, Saturno representa aflições, martírios, torturas (sim, saturno representa diversas outras coisas, mas associado ao aspecto sexual saturno explica muitos dos comportamentos ditos pervertidos) especialmente porque a conjunção recebe uma quadratura de marte dignificado, o que sugere uma carga a mais de violência e agressividade. Saturno em Câncer é um outro fator que parece explicar o ódio Sadiano a figura da mãe. Especialmente no livro “A filosofia na Alcova” este pensamento de apologia ao matricídio está bem evidente. O livro gira em torno de uma menina que está pra ser iniciada no mundo da devassidão. Ela é guiada por um grupo de pervertidos que fazem com ela tudo o que se pode imaginar. No meio dos acontecimentos os personagens expõem suas filosofias e tentam justificar suas práticas. No final, a mãe da menina aparece e o grupo de pervertidos a violenta e espanca fazendo-a transar com um portador de sífilis e ainda costuram sua vagina e ânus ao final da trama, “para garantir que os fluidos sifilíticos realmente fizessem seu efeito”. Esses elementos de violência e de excessos são uma constante em todas as obras de Sade.



Comentários
6 Comentários

6 comentários:

spare on 24 de abril de 2009 20:24 disse...

fico bem bom o texto. tem biógrafo gente que diz que na verdade ele tava mais pra masoquista do que pra sádico oO mas com gente de épocas remotas sempre tem mta especulação \o/

Samsara on 24 de abril de 2009 21:31 disse...

Olá Elias

Gostei muito do seu texto. Há pouco tempo estudei este mapa no âmbito de um workshop de astrologia tradicional sobre sexualidade.

Beijinhos e Bom fim de semana

Malvadeza on 25 de abril de 2009 18:10 disse...

Considerando que a data está acertada, discordo do horário de nascimento.
O Marquês deve ter nascido com asc em Peixes e aí teria o MC em Sagitário, ambos regidos por Júpiter em mal estado cósmico, juntando-se a isso Saturno na 5ª conjunto a Vênus explicaria o comportamento dele.

Elias Mendes on 25 de abril de 2009 18:40 disse...

Patricia (samsara) que bom que gostou do texto, também acompanho seu blogue. Obrigado pela visita!

Elias Mendes on 25 de abril de 2009 18:46 disse...

Spare, eu inclusive li um ensaio da Simone de Beauvoir sobre a questão de até onde iriam as práticas do Sade em vida, e baseada no estudo de biografos ela levantou a hipótese de ele ser inclusive homossexual.

Elias Mendes on 25 de abril de 2009 18:53 disse...

"Malvadeza" sua hipóteze é interessante, mapas de pessoas de outras épocas realmente dão o que pensar. Mas eu prefiro ficar com os dados usados por uma maioria. Levando-se e conta que o Marquês era da nobresa, o horário de nascimento dele têm grandes chances de ser conhecido.

O site astrodatabank da esta classificação para os dados de sade:

Data source
Quoted BC/BR Rodden Rating AA

bc = foi olhada diretamente uma certidão de nascimento

br = foram analisados relatos de familiares

AA = é o ranking mais auto quanto ao grau de precisão dos dados fornecidos, significando que a data tem grandes chances de estar correta.

prefiro esses dados, do que as retificações instântaneas feitas pelos achólogos de plantão.

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015