sábado, 31 de janeiro de 2009

Astrologia é determinista?



Será que somos realmente como folhinhas caídas de uma árvore voando sem vontade ao sabor dos ventos? será que temos vontade própria, decidimos exatamente tudo o que acontece conosco, será que não estamos sujeitos a algumas leis naturais? o que acontece se eu me atirar da janela do vigésimo andar de um prédio? Fazendo uso do livre-arbítrio será que eu consigo sair voando pelos céus e evitar de me espatifar no chão? Dificilmente. Notamos aí a existência de algo determinista: nem tudo o que eu quero eu posso fazer. Ao mesmo tempo, sou livre pra escolher o que é melhor pra mim (dentro de alguas poucas alternativas ...pré-determinadas?) Não posso escolher entre nascer em uma mansão na Suíça ou numa cabana em Burkina Fasso. Mas, teoricamente, sou livre pra deixar a Suíça e iniciar uma brilhante carreira como pescador no rio Nilo e caçador nas florestas do Tanzânia, ou então sair da minha cabana na Burkina e iniciar minha brilhante carreira como empresário de sucesso em alguma multinacional. Afinal, não existe pré-determinação, somos todos livres. Bem, assim algumas pessoas querem que acreditemos que são as coisas, este é um lindo e utópico pensamento surgindo no século 18, o que não vem muito ao caso agora, essa questão absoluta entre a existência ou não da liberdade . Pra mim ela é a maior das quimeras, mas existem seus ferrenhos defensores. A questão aqui é, a astrologia, ela determina alguma coisa?


Bem, vou colocar a minha visão pessoal, entre o caráter determinista (ou não) da previsão astrológica, devido a algumas questões suscitadas nos comentários da minha última postagem, sobre Amy Winehouse e seus trânsitos e a maneira como a cantora vivenciava seus trânsitos. O céu de fato não determina absolutamente nada, verdades pessoais são construções individuais. Não está no mapa quem a pessoa há de se tornar. Milhares de pessoas nasceram no mesmo dia que Amy Winehuse, mas somente Amy Winehouse é Amy Winehouse.

A pessoa que Amy Winehouse é nos dias de hoje é uma criação dela e do meio de onde ela surgiu. Uma das possíveis manifestações de todo o potencial contido naquele 14 de Setembro de 1983. Impossível que todas as pessoas nascidas nesta data tenham as mesmas oportunidades e passem pelos mesmos locais, convivam com as mesmas pessoas:

Mas é impossível deixar de notar que existe algo de essencial no caráter individual, algo de inexplicavelmente original e independente do meio ou das condições genéticas. Esse impulso que leva determinadas pessoas a terem uma propensão maior a categorizar coisas, ou uma propensão maior a desestruturar coisas.... Aquilo que leva um indivíduo a ser mais determinado ou mais flexível, o que torna uma pessoa mais ativa ou mais reativa...

Para astrologia as pessoas nascem no momento em que tem que nascer, porque a astrologia estuda a qualidade do tempo e para a astrologia o indivíduo ou o que quer que surja em determinado tempo não terá surgido naquele tempo específico a toa, o indivíduo terá as características essenciais daquele momento (que são mostradas através do estudo astrológico) e será a manifestação viva daquele momento. Tanto que um céu astrológico jamais se repete, cada momento é absoluto e único.

Então uma pessoa que nasce com as qualidades de determinado tempo, com o passar dos anos, a medida em que se desenvolve irá interagir não só com outras pessoas, outros locais (o ambiente, família e etc) mas também com novas qualidades de tempo. É basicamente nisso que se alicerça a previsão astrológica. Porque o tempo , para a astrologia é composto por uma séria de qualidades diferentes entre si que se organizam na forma de um ciclo de infinita criação e destruição mútua. Um fator particular por exemplo, como o sol com a qualidade do mutável de terra, quando exposto a um período onde determinado fator (saturno por exemplo) terá a qualidade do mutável de fogo experimentará um momento onde uma qualidade muito diferente da sua natureza permeará as circunstâncias.




O indivíduo então vivenciará o choque entre o que ele é e o que existe em determinada circunstância. O que ele fará a partir disso vai depender exclusivamente das suas escolhas.Nesse sentido eu acho interessante uma comparação entre a previsão astrológica e a previsão meteorológica, por exemplo.

A meteorologia por exemplo lança mão de uma série de dados colhidos no agora e no passado pra tecer previsões futuras. Esta ciência sabe que cada momento é único e que por mais que o passado tenha a tendência a se repetir, novos fatores sempre podem fazer diferenças. Assim as previsões meteorológicas não prevêem com absoluta precisão justamente porque o fator do novo, do ainda não computado pode gerar diferentes variáveis. Ela prevê, por exemplo, que uma frente fria vai se formar e vai passar por cima de cidade de Florianópolis, o que é indício, mas não a garantia de chuva. A frente fria pode ser desviada para o mar ou para o continente devido a ação do vento e a chuva ser levada para uma região vizinha.



Não é muito diferente a previsão astrológica. O astrólogo pode olhar para o seu sol em Libra e para o plutão em Capricórnio que se aproxima da quadratura com este seu sol mas é incapaz de precisar a natureza absoluta dos eventos que te acontecerão. Ele se limita a te descrever todo o peso do tempo que se aproxima, de que forma este momento diverge da sua natureza e o tipo de circunstâncias que (baseado na bagagem do astrólogo) podem te ocorrer.

Nesse sentido, na astrologia o determinista é o astrólogo quando se coloca na posição de lhe dizer o que vai acontecer com você, como se não houvesse escolha da sua parte para tal. O Astrólogo pode descrever o tempo, mas não determinar de que maneira exata você vai reagir a este tempo.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Christiane Forcinito Ashlay Silva de Oliveira on 31 de janeiro de 2009 18:41 disse...

Elias

Como ex astróloga que se converteu ao catolicismo e agora voltou a estudar astrologia justamente por encontrar respostas como estas que vc escreveu agora, eu concordo com você no que escreveu.

Particularmente, percebo que além do que você brilhantemente escreveu, há o fator pessoal de quem vai ouvir determinada previsão. E esta sim acho que pode ser perigoso pois, uma informação pode levar com que esta acabe vivendo um determinado trânsito que poderia ser mais leve de forma mais pesada, compreende? Por isso como católica percebo que na previsão há um elemento perigoso.

Eu adorei seu texto. Como sempre gosto. Sou sua fã. Estou ainda me resignificando, reestudando a astrologia e junto dela a filosofia e o catolicismo que vivo como prática e amor.

Esta minha resposta é ainda uma reflexão, como eu mesma afirmei acima estou em processo de resignificação. Vou reler este texto mais vezes e refletir diversas vezes.

Obrigada.
Grande abraço.

Chris.

Kobrah disse...

Post inspirado =P

Anônimo disse...

"O indivíduo então vivenciará o choque entre o que ele é e o que existe em determinada circunstância. O que ele fará a partir disso vai depender exclusivamente das suas escolhas."

absolutamente verdadeiro. as vezes eu piro com isso, é a sensação de ser e de não ser livre ao mesmo tempo. Eu vivencio a situação da maneira que escolho (ok), estarei sendo livre dessa forma. mas ao mesmo tempo a situação vem, e ela esta ali, representada pelo planeta. ou seja, posso escolher como viver, mas não posso escolher não viver, é impossível essa opção ....

não diria nem que a astrologia é determinista por isso, a questão extrapola o céu....a vida é ridiculamente determinista/determinada

Ivan

Postar um comentário

 

Mega Astrologia Copyright © 2008-2015